quinta-feira, 18 de abril de 2013

Mortos enterrando mortos (Lucas 9:59)


“E disse a outro: Segue-me. Mas ele respondeu: Senhor deixa que primeiro eu vá enterrar meu pai. – Mas Jesus lhe observou: Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu vai e anuncia o Reino de Deus.” 
 (Lucas 9: 59-60)


Pois os vivos sabem que morrerão, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco têm eles daí em diante recompensa; porque a sua memória ficou entregue ao esquecimento.
                                                                                                                                       (Eclesiastes 9:5)


Jesus era judeu. O homem para quem ele aconselhou deixar o pai morto também era judeu. Aliás, era uma sociedade de judeus!
Judeus possuem um ritual muito especial para os funerais, chamado TAHARAH.
A tahará é realizada pela Chevra Kadisha (Sociedade Sagrada, i.e., Sociedade Funerária), composta por judeus instruídos na área dos deveres tradicionais, e que podem mostrar o devido respeito aos falecidos. Além da limpeza física e da preparação do corpo para o enterro, eles também recitam as preces exigidas pedindo perdão a D'us por qualquer pecado que o morto possa ter cometido, e rezando para que o Todo Misericordioso o guarde e lhe conceda a paz eterna. Assim como um recém-nascido é imediatamente lavado e entra neste mundo limpo e puro, também aquele que parte deste mundo deve ser limpo e purificado através de um ritual religioso chamado taharah (purificação).


Como existe todo esse ritual a ser seguido, por que Jesus não deixou o homem enterrar o pai morto, sendo que Ele sempre proclamou  o amor filial?

Se os mortos não sabem de coisa alguma, por que Jesus mandou “ um morto enterrar outro”?

Acredito que Jesus  revelou que não é com o corpo físico morto, que devemos nos preocupar mas com o espírito que é imortal. Por isso, Ele mandou anunciar o reino de Deus, isto é, a vida espiritual.
 
Cemitério judeu no Monte das Oliveiras (Jerusalem) sob a neve.
Obviamente que cemitérios de judeus não têm cruzes.








SA

43 comentários:

  1. O 233 vive citando essa frase "os mortos não sabem de coisa alguma". Mas Jesus mandou os "mortos enterrarem os mortos". Será que Jesus mandou tudo para o beleléu ou estava falando de vida espiritual?

    SA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era uma expressão do aramaico "deixe-me primeiro enterrar meu pai" significando que um filho devia cuidar do pai até o fim da vida para ir embora. Podia ser um ano, ou dez.
      Jesus disse para deixar os mortos espiritualmente enterrar os mortos como eles, o rapaz devia pensar nos que deviam receber a vida, em vez de se preocupar com os que estavam para receber a morte.
      Jesus quis dizer a mesma coisa a Pedro e seu irmão quando os chamou para serem pescadores de homens, em vez de pescarem peixes.

      Excluir
    2. caramba... esse macacão233 233 deve viver o tempo todo pregando para retardados e julga que aqui podre fazer o mesmo... mas...

      ... é certo e sabido que, por aqui, só um desses atrasados mentais que proliferam no tecido religioso, vive aplaudindo que nem basbaque a verborreia que ele, 233, despeja em tom de pastor-impostor sem o mínimo de respeito pelo intelecto dos outros...

      corra meu ... vá ser vendedor de banha da cobra (pseudo)doutrinaria bem longe daqui, seu macacão 233... BEM LONGE MESMO!!!... :))...

      Excluir
    3. Eu lembro que a Dona Di comentou que queria participar de um velório de um vizinho e me pediu para fazer companhia. Para a minha surpresa, encontrei o Padre José lá no cemitério, mas não lembro da cerimônia, pois acompanhei a Dona Di por todos os lados do cemitério. Graças a Dona Di, aprendi a gostar dos velórios, o pessoal conta tanta piada, mas tanta piada, que fica até difícil lembrar porque estávamos no cemitério.

      Alguns anos mais tarde, eu e o Célio estávamos sozinhos, olhando para o meu pai. De repente, surgiu um novo corpo envolto com lençol e colocaram do lado do meu pai. "Vamos dar uma olhadinha?" perguntei para o Célio. "Eu, não! Morro de medo de ver gente morta".

      Eu não entendo essa passagem do Evangelho, o de negar ao discípulo o direito de se despedir do pai. A morte é sempre um pesadelo financeiro, no meu caso precisei comprar o caixão, pedi um dia para tirar dinheiro da poupança, mas a funerária depositou logo no dia do enterro, e o cheque acabou voltando, mas enfim consegui comprar flores, e não sei como a minha mãe conseguiu arranjar um sacerdote de um templo oriental para dizer algumas palavras na despedida. Quanto ao jazigo, eu já havia comprado para toda a família faziam mais de dois anos. Toda a minha família ficou admirado com a forma organizada que conduzi o enterro, sem tirar um tostão do bolso de ninguém, apenas do meu. O enterro de um oriental, no entanto, é bem diferente. Após o enterro, minha mãe mostrou um monte de envelopes, cheios de dinheiro. Aquilo ajudou a financiar várias cerimônias para lembrar do meu pai (o católico é muito melhor, é só uma missa após sete dias, e é lá na paróquia), eu sei que foram várias cerimônias durante três anos, uma baita chatice. Mas todo ano, eu e minha mãe vamos no cemitério, pedir a ele o que sempre pedimos quando ele estava conosco, muita ajuda material para continuar nessa vida. Sem dinheiro não dá para viver.

      Claro que Jesus tentou mostrar ao mundo que a vida não se reduz a acumular tesouros na terra, mas sim encontrar o amor bem dentro de nossos corações e que podemos ser bem felizes só com isso, mas Ele também sabia que o máximo que conseguimos enxergar é apenas o nosso peito, e não o que tem dentro dele. Logo, eu acho que foi muito rude da parte de Nosso Senhor não liberar o discípulo do serviço de divulgar o Evangelho, e o pior é que eu não tenho a menor ideia de como explicar essa passagem para as crianças.

      Excluir
    4. O problema na morte,é deixarmos um nome do qual nossos conhecidos possam se orgulhar.
      Por isso,considero a vida mais perigosa,do que a segunda opção.
      Se eu me finar,meu templo estará autorizado a rezar uma missa por mim poucos dias depois,e pela segunda vez,depois de três meses.(período em que supostamente dura o bardo)

      O sr.Hosaka é um homem valente.
      Sempre admirei o modo como os nipônicos lidam com essa história.

      Que bom que a Selma resolveu o "destino do blog".
      O que eu acho uma pena,é que não vou mais poder usar meus títulos de assunto,o que irá me levar a um pouco de desorganização,mas acabarei me acostumando.

      Excluir
  2. Pessoal, será que o Filósofo já está ciente de que será preciso ter conta no Google para comentar? Gosto muito dos comentários dele, e não queria que ficasse de fora! Se alguém tiver o email dele, avise por favor!


    SA

    ResponderExcluir
  3. A Selma realmente moralizou o blog: agora é só receita de sanduiche de frango e compra de alho poró. Muito bom mesmo !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Santiago Barnabé! Você prefere as orquídeas?

      Excluir
  4. Quem não gosta de orquidea é ruim da cabeça ou tem chulé no pe´!

    ResponderExcluir
  5. A Nihil achou que só ela de maluquete no Blog era muito pouco, então insuistiu com o ateu. Deu no que deu.
    Falar em dar, acho que tem médium nesse Blog doido para me ver longe. Mas eu acho que vou parar de chamar médiuns de V-V-eados, porque isso já está se tornando um elogio para eles. Eles são é pederastas mesmo.

    ResponderExcluir
  6. No psicólogo o 233 malucão beleza confessa: - Doutor, eu acho que sou homossexual. - Quem? Você? De jeito nenhum. Veja só: o sanguinário Nero era homossexual, o inesquecível Rock Hudson era homossexual, o magnífico Napoleão Bonaparte era homossexual, o talentoso Oscar Wilde era homossexual. Mas você? Você não. Você não passa de um viadinho de merda.

    ResponderExcluir
  7. A srta. LG acha que não é o ateu, mas se não é ele, é outro esquizofrênico igual. Quem, se não for lelé, vai ficar perdendo tempo para repetir as mesmas babaquices anos a fio?

    ResponderExcluir
  8. Olá, Sr Adilson,

    Fiquei olhando a foto da Doutora SA e notei que existe neve no cemitério de Jerusalém. Eu não lembro da neve no Antigo Testamento e nem no Novo Testamento. O Sr chegou a ver isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa noite, sonhei com o Príncipe.
      Cores vívidas, sons nítidos da voz anasalada dele.
      Ele dizia que eu tinha muito a melhorar.
      Eu o sinto como uma eterna ausência doce, que mensura meu destino.
      Safo teve uma vinculação com o pai falecido(ficou órfã cedo),quem sabe,o Príncipe é a reedição dessa eterna presença/ausência.
      (talvez a princesa idem foi a mãe do sr.Hosaka,muitas vidas atrás)

      Hodiernamente ele está bem vivo e com saúde.(oxalá não esteja gordinho também,a última vez em que o vi,foi há cinco anos)

      De tudo o que eu sei falar sobre o budismo- e pratico tal religião porque ela promete melhoria pessoal- é o acréscimo de uma certa suavidade às nossas atitudes.
      A "ficha vai caindo", nosso ego diminui um pouco,a empatia cresce,e com isso,aparamos as arestas.
      A grande experiência comum que todos almejamos conscientemente é sermos úteis aos outros.
      Se não podemos fazer isso de uma forma direta,podemos contribuir com nosso exemplo de "suavidade".
      Não fugiremos dos nossos deveres nem abandonaremos nossos prazeres,mas seremos teremos mais delicadeza, e ficaremos menos vulneráveis a chateações.
      Eu costumava achar que a meditação provoca uma expansão cerebral.
      Esse "cérebro expandido" no qual eu acreditava,não é o cérebro,mas sim,o coração.
      O coração(o local mental onde estão os sentimentos) também pensa.
      Não é tão tolo quanto parece,tem sua lógica específica,quer o bem do seu usuário,e pode aprender a desejar o bem de todos os seres.

      Ah,mas acima do mundo, para mim está o Príncipe...
      Eu queria como eu queria como eu queria (as repetições são propositais) como eu queria estar fisicamente perto dele agora.
      Mais perto ainda do que vcs pensaram.(hohó!)

      Excluir
    2. Olá, sr Hosaka, a palavra neve pode ser encontrada em 2Samuel 23:20, 1Crônicas 11:22, Jó 37:6 e 38:22, Salmos 51:7 , 147:16 e 148:8, Provérbios 25:13, 26:1 e 31:21, Isaías1:18 e Jeremias 18: 14.
      A palavra para neve em hebraico é sheleg, e encontra-se também em Êxodo 4:6, na sequência de poderes que Deus concedeu a Moisés para que fossem dadas provas ao povo que Deus o enviara.

      O verbo nevar é shalag, e encontra-se somente uma vez, no salmo 68:14.
      Agora, uma coisa importante, que o lusitano não consegue compreender: Se não existisse neve em Israel, a língua deles não teria essa palavra, a não ser que viajassem muito para terras onde nevasse. Índio brasileiro não tem palavra para neve, porque não conheciam tal coisa. Se os judeus acreditassem em reencarnação, haveria uma palavra para descrever essa crença, MAS NÃO HÁ na Bíblia NADA a respeito.
      Qual foi a saída de Rivail? Ele disse que os judeus acreditavam na reencarnação com o nome de ressurreição, o que é uma besteira sem tamanho. Jesus então teria dito sobre aquele que cresse nele: "...e eu o reencarnarei no Último Dia." Só um imbecil para aceitar tal absurdo.

      Por isso eu não considero ofensa chamar o lusitano de burro, porque é a realidade. Talvez seja ofensa ao tão útil animal orelhudo, o qual certamente reclamaria, se soubesse dessa comparação.

      Excluir
    3. Mateus 28,1-3

      Depois do sábado, no domingo bem cedo, Maria Madalena e a outra Maria foram visitar o túmulo. De repente, houve um grande tremor de terra. Um anjo do Senhor desceu do céu, tirou a pedra e sentou-se nela. Ele era parecido com um relâmpago, e as roupas eram brancas como a neve.

      Obrigado, Adilson, achei a neve no Novo Testamento. De acordo com o texto acima, houve um tremendo avalanche em Jerusalém.

      Excluir
    4. Quanto a essa divergência entre ressurreição e reencarnação, isso é algo que não tem como ser comprovado empiricamente. Há um ou outro evangélico mais ortodoxo que afirma que Deus é fiel a tudo o que Ele mandou escrever, isso nenhum ser humano é capaz de conferir, pois todo ser humano é mortal, e assim ele não tem como ir até o infinito para averiguar se Deus é onipresente, onipotente e muito menos eterno.

      Mas lá na Paróquia sempre rezamos em voz alta que acreditamos na ressurreição da carne, pelo menos umas cinquenta e duas vezes por ano. Isso não torna nenhum católico melhor que ninguém. O mesmo vale para os espíritas, não importa quantas vezes eles repitam que existem provas irrefutáveis da reencarnação, isso também não ajuda nenhum espírita ser melhor que ninguém.

      Nesse caso, precisamos tirar o chapéu aos ateus. Não sabemos se a nossa confissão de fé agrada Deus, o máximo que dá para conferir é que isso degrada bastante os incrédulos. Portanto, em respeito aos ouvidos dos ateus, vamos dar um descanso para eles. Peço a todos do GD, cinco minutos de silêncio para os ateus. Claro que ateus não nascem em árvores, foi Deus que inventou os ateus. Amar Deus é fácil, entender o seu propósito que é complicado.

      Excluir
    5. 233... manipulando mentes menos capazes umas e menos atentas outras, despeja:
      > Qual foi a saída de Rivail? Ele disse que os judeus acreditavam na reencarnação com o nome de ressurreição, o que é uma besteira sem tamanho
      --
      apenas vou ser rápido e mostrar, não aos menos capazes de um raciocínio límpido e sem preconceitos para com a D.Espirita/PURO CRISTIANISMO, mas sim
      para aqueles que são idóneos da mente e sabem analisar por si próprios a ***PASSAGEM BIBLICA** abaixo, mas...

      ... não me inibindo de dizer que não será nada de admirar que, afinal, Kardec até teria razão ao considerar que naquele tempo o termo "ressurreição" teria uma abrangência maior do que aquela que consideramos ter hoje, pois...

      ... se assim não fosse, esse dialogo a seguir de Jesus com seus companheiros não teria qualquer sentido ou racionalidade...

      veja-se...

      "Num dia em que ele estava a orar a sós com os discípulos, perguntou-lhes: Quem dizem que eu sou? (São Lucas 9, 18)

      Responderam-lhe: Uns dizem que és João Batista; outros, Elias; outros pensam ***que ressuscitou algum dos antigos profetas.*** (São Lucas 9, 19)"

      Portanto... só resta dizer que "um profeta ressuscitado" na forma e ideia que temos hoje, não é possivel equacionar naquele dialogo simplesmente porque...

      ... ali todo mundo sabia que Jesus **foi parido** tal qual como qualquer outro nenezinho é... certo?!?!...

      Excluir
  9. Olá amigos.
    Talvez esta pequena e considerável recomendação do blog, sirva para os participantes não cometerem canibalismo virtual.
    Quero fazer menção a alguns dos memoráveis participantes do antigo GD, declaradamente considerados evangélicos como o SPL, Américo Vespúcio, Farol e Free Lance a quem eu considerava muito, e saber do Adilson sobre qual a linha de pensamento destes participantes que você considera errado.
    Obrigado pela resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Daniel, vou procurar ser breve.
      Os evangélicos seguem as doutrinas da reforma protestante, a qual foi feita por ex-católicos, como Lutero, Calvino e outros.
      A reforma não foi completa porque manteve certas crenças não conformes com a Bíblia:
      1) Imortalidade da alma;
      2) Tormento eterno;
      3) Salvação automática de crianças;
      4) Estado consciente entre a morte e a ressurreição.

      A Bíblia em lugar algum diz que somos imortais, ela registra que quem disse isso foi Satanás a Eva. Deus disse que Adão e Eva morreriam se comessem o fruto da árvore do conhecimento do Bem e do Mal, o que simbolicamente significa "viver a vida", existir, porque toda criatura morre.
      A Bíblia afirma que o destino do perdido é a morte eterna (sem volta), a extinção simbolizada no lago de fogo.
      A afirmação bíblica categórica é que só existe salvação através da fé em Jesus, logo, não existe salvação por "inocência".
      Em várias passagens a Bíblia diz que os mortos não estão conscientes de coisa alguma. A ideia de que temos algo chamado de alma ou espírito que sai do corpo após a morte e tem vida autônoma não é bíblica. Na Bíblia não existe a ideia de vida sem o corpo.
      Ora, se não temos alma, se após a morte não se sabe de mais nada, então não existe ninguém no Céu ou no Inferno. Caso contrário, qual seria a finalidade da ressurreição?

      Essas crenças aí em cima são aceitas pelas denominações evangélicas e foram herdadas das heresias católicas.
      Pense bem na incongruência desses falsos ensinos, Daniel, Se Jesus tomou nosso lugar levando o castigo que merecíamos, se nosso destino como condenados seria o Inferno eterno, então Jesus teria de ir para lá em nosso lugar. Eis aí a prova de que não existe alma imortal nem Inferno.
      Mais uma coisa, Daniel, se as crianças que morrem na inocência vão para o céu automaticamente, então Herodes fez um bem enorme ao mandar matar os meninos de dois anos ou menos.

      Excluir
    2. DEZ DECLARAÇÕES RELATIVAS AO ESTADO DOS MORTOS NO NOVO TESTAMENTO


      1
      Os mortos só entram na vida ou na condenação a partir da ressurreição dentre os mortos
      João 5:28,29

      2
      Os vivos não precederão os que dormem para a entrada no Reino
      1 Tessalonicenses 4:15

      3
      A entrada no Paraíso se dará por ocasião da “colheita” no fim do mundo
      Mateus 13:39; 28-30

      4
      Até a ceifa (que acontece no fim do mundo) justos e ímpios partilham o mesmo lugar
      Mateus 13:28-30

      5
      Somente na consumação dos séculos haverá a separação entre os justos e os ímpios
      Mateus 13:47-50

      6
      A entrada no Reino é por ocasião da revelação do Filho do Homem
      Mateus 25:31-34

      7
      Só entraremos nas nossas moradas quando Cristo voltar para nos levar onde ele está
      João 14:2,3

      8
      Davi não subiu aos céus
      Atos 2:34

      9
      Davi está morto na sepultura
      Atos 2:29

      10
      Os mortos só alcançam a misericórdia da parte do Senhor no dia da Sua Vinda
      2 Timóteo 1:16-18

      Excluir
  10. Esplêndido.
    No entanto há muita dificuldade para qualquer religioso chegar a esse entendimento claro das coisas, sem ser amedrontado por inferno.
    Examinais as escrituras.
    Adilson, como será o fim para os ímpios, eles apenas deixarão de existir porque não há julgamento?
    Eu li em Isaías uma passagem que diz que deus fará sua "obra estranha".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, vejamos:
      "Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno." (Daniel 12:2)
      Horror, é, nesse versículo e em Isaías 66:24, DERA´ON, aversão, repulsa.
      Em João 3:16,temos: "Porque Deus amou o mundo de que enviou seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crer não PEREÇA, mas tenha a vida eterna."
      Não pereça, no original é "mè apóletai", que significa "não seja destruído completamente". É da mesma raiz e está traduzido no Apocalipse como "destruição" (Apocalipse 17:8).
      Paulo contrapõe vida e morte: "O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, Nosso senhor." (Romanos 6:23). Paulo NUNCA falou de tormento eterno. Por quê? Teria esquecido?
      A sentença sobre Adão foi "O dia em que dela comeres, MORRERÁS". Nada foi dito sobre tormento eterno.
      Mas o que é que se ouve nos púlpitos? "Morte" não significa morete, mas afastamento eterno da presença de Deus. Significa uma existência em sofrimento eterno."
      Pois bem, Inferno só existe nas traduções. No original hebraico e grego está SHEOL e HADES, que significam o túmulo, o Além, que é linguagem figurada para morte.
      "Tu é pó, e ao pó tornarás." Não está escrito: "Se dela comeres irás para o tormento eterno."

      No Apocalipse está escrito que aquele cujo nome que não for achado no Livro da Vida será lançado no Lago de Fogo, e esta linguagem figurada só pode significar extinção.
      Disse João Batista: "Toda árvore que não der bom fruto será laçada ao fogo."

      Excluir
    2. Então esta é a segunda morte da qual menciona a bíblia.

      Excluir
    3. Segunda morte? Mas Paulo não disse que sói se morre uma vez?

      Excluir
    4. O livro de hebreus diz que só se morre uma vez, seguindo-se o Juízo, mas isso diz respeito ao acontecimento natural pelo qual passam todos. As pessoas que foram ressuscitadas, como Lázaro, terão certamente que morrer duas vezes, mas são casos excepcionais que não invalidam Hebreus 9:27.
      Não seria preciso alongar a epístola aos hebreus e colocar que "aqueles que foram ressuscitados morrerão duas vezes", porque isso não é difícil de entender.
      A chamada "segunda morte" no livro de Apocalipse não se refere à morte natural, mas à extinção da condenação. Aliás, ao chamar o destino dos perdidos de segunda morte, o livro de Apocalipse está detonando a teoria de Rivail, segundo a qual todos têm de passar por trilhões de mortes.

      As pessoas que morrem e são ressuscitadas nos hospitais, depois de um ou dois minutos de mortos, terão de morrer de novo. A única diferença entre os choques elétricos no coração dados pelos médicos e a ordem de Jesus para que Lázaro viesse para fora do túmulo é que Jesus restaurou todas as células do corpo de Lázaro, as quais já haviam entrado em decomposição. Essa restauração celular é a mesma que Jesus operava ao curar leprosos ou cegos, e também os músculos e nervos dos paralíticos. O mesmo fenômeno se aplica à multiplicação dos pães e à transformação de água em vinho.
      "Todas as coisas foram feitas por intemédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez." João 1:3
      Jesus usava o mesmo poder pelo qual criou tudo o que existe.

      Excluir
  11. Há uma diferença entre um simples filósofo e Jesus.
    O siri santinho falava, falava, falava...era apenas um filósofo, um simples mortal que voltou ao pó, embora siris vivam entocados no lodo.

    E Jesus?
    Trouxeram-lhe um paralítico e ele disse: "Tem bom ânimo, teus pecados estão perdoados."
    Os escribas disseram que era blasfêmia, porque somente Deus pode perdoar pecados.
    Disse Jesus: "Que é mais fácil, dizer perdoados estão os teus pecados, ou levanta-te, pega teu leito e anda?"

    ("Perdoados estão os teus pecados" qualquer um pode dizer.)

    "Para que saibais que o Filho do Homem tem autoridade para perdoar pecados", disse então ao paralítico: "Levanta-te, pega teu leito e anda."

    Levanta-te, pega teu leito e anda só Jesus podia dizer.

    Essa a diferença entre um simples filósofo e Jesus Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ficar irritada, srta. LG, mas a verdade é essa
      Contra-argumente, a senhorita deve ter muito o que dizer em defesa do sirizão (ele era bem gordo).

      Excluir
    2. Eu acho que eu vou precisar cadastrar um e-mail para o Contravocê,tádinho,senão ele vai ficar fora das nossas conversas.
      (kk...)

      Excluir
    3. tripitaka 1.004,réplica ao Adilson,


      Sri Thatagatta não foi um simples filósofo,foi um santo.
      Filósofos foram dr.Sócrates, Pirro de Éllis,e até a neguinha Safo,que só queria saber de curtir a vida,é considerada filósofa.
      Os santos porém discursam,e ajudam os que pedem ajuda porque tem essa competência.
      Mestre Buda fez tudo o que o sr.Jesus fez,mas não ressuscitou mortos.
      As palavras de ambos tem muitas semelhanças em alguns trechos,mas as do mestre mais velho,são enroladas.
      As do sr.Jesus soam mais inteligíveis.
      Sri apregoou uma vez para um elefante, e curou um "louco de hospício".
      O único pseudo-maluco que sr.Jesus curou,ele "curou" quando já estava morto,e esse foi o sr.Paulo.
      Não há como provar que as coisas foram mesmo assim que nem o último contou.

      Idem, para mim é difícil acreditar que o sri judeu ressuscitou.
      Será??
      Não costumo debater isso com ninguém,pois nunca dá muito certo.
      O que os discípulos podem ter tido,foi uma visão do sr.Jesus,já como alma.
      Os quarenta dias em que ele ficou por perto,foram a vivência do bardo.(período compreendido entre a morte e o renascimento em outros mundos,o qual para a maioria das pessoas,dura quatro meses)
      Os discípulos do sr.Buda não tiveram essa visão com ele,mas talvez ele ficou perto do sangha,ainda por um tempo após ter morrido.

      Excluir
  12. Atendendo aos insistentes pedidos do 233, eu vou falar um pouco sobre a minha posição em relação a questões espirituais, que as pessoas geralmente chamam de religião.

    Para começar acredito na existência de Deus, que Ele (sempre com inicial maiúscula) é bom e justo, que tem interesse por nós e que gerou leis universais que cuidam de tudo tanto no mundo material quanto no espiritual. Que as religiões são maneiras que diferentes grupos humanos erigiram para tentar ritualizar e consolidar o pensamento que pessoas ou grupos sociais tinham a respeito da espiritualidade e que, a exemplo de quase tudo, pode ser usado para o bem ou para o mal.

    Acredito também que Deus em si não tem nada a ver com o que as religiões atribuem a Ele, da mesma maneira que se alguém fizer algo em meu nome, de bom ou de ruim, é coisa daquela pessoa e não minha.

    Fiquem bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí se pode chamar de enxugar gelo. Se isso é falar sobre religião, dizer que bolas são redondas é comentar jogo de futebol.

      Excluir
    2. Apesar de poder não agradar especialistas e exegetas geniais como V. Sa., se alguém dissesse que bolas são redondas seria muito melhor do que dizer que bolas são quadradas ao contrário do que todo mundo pensa, e ainda explicar o motivo de forma a nos tentar fazer crer que ele é o ÚNICO que entende daquele assunto, como se pode observar que ocorre com frequência alarmante neste blog.

      Fique bem.

      PS: Bolas são redondas.

      Excluir
  13. O Apocalipse (revelação) detona fragorosamente o Rivailismo.

    Os mortos são julgados

    11 Depois vi um grande trono branco e aquele que nele estava assentado. A terra e o céu fugiram da sua presença, e não se encontrou lugar para eles.

    12 Vi também os mortos, grandes e pequenos, em pé diante do trono, e livros foram abertos. Outro livro foi aberto, o livro da vida. Os mortos foram julgados de acordo com o que tinham feito, segundo o que estava registrado nos livros.

    13 O mar entregou os mortos que nele havia, e a morte e o Hades entregaram os mortos que neles havia; e cada um foi julgado de acordo com o que tinha feito.

    14 Então a morte e o Hades foram lançados no lago de fogo. O lago de fogo é a segunda morte.

    15 Aqueles cujos nomes não foram encontrados no livro da vida foram lançados no lago de fogo.

    Que é que João vê em símbolos? Que os mortos estavam mortos, não estavam no céu, nem no Purgatório, nem no Inferno e nem reencarnando.
    Que mais ele viu? O fim do estado de morte, pois tudo que não presta foi destruído no lago de fogo, o Mal, a morte e os perdidos. João vê que o que pesa sobre os homens, a morte, tem seu fim no lago de fogo, assim como todo aquele que não teve seu nome escrito no livro da vida.
    Os criminosos como Hitler não estão no Inferno, estão mortos simplesmente. Não tem médico criminoso nazista se materializando em Jacerepaguá. Quem morre permanece moro até o Dia do Julgamento. Ora, se a morte definitiva é a segunda, então não existem as trilhões de mortes e reencarnações do Rivailismo e do Budismo.
    Acho que o Daniel vai pedir para explicar claramente como é que se pode ter o nome escrito no Livro da Vida e o motivo pelo qual alguém ficou de fora.
    Dona dra. SA vai perguntar se as criancinhas inocentes que morrem sem praticar mal algum também vão para o lago de fogo.

    Dona srta. LG vai questionar por que o Apocalipse merece crédito, porque ela acredita é no sirizão e está muito satisfeita.

    Esse assunto, portanto, continua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sua explanação é com certeza das melhores. Jamais dialoguei com alguém tão entendido quanto você neste assunto, e se você me permite, Adilson, eu gostaria de saber exatamente qual é o critério estabelecido para se ter o nome no livro da vida.

      Tudo esta determinado, eu sei. Nossas ações são tomadas antes de nós.
      "As coisas encobertas pertencem ao SENHOR, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei." Deuteronômio 29:29

      Excluir
    2. tripitaka 1.005


      A vcs.

      Além de budista,sou um pouco teósofa,por isso,posso debater com essa "poesia grega" que é o apocalipse bíblico.
      Conheço um pouco de mitologia hindu.
      Mestre Buda mencionou tal assunto de leve em seu último dia vivo,quando disse que deveríamos nos apressar em apregoar a "Verdade" pois "o tempo e a vida estavam passando".
      Os vedas e o apocalipse não discorrem sobre o fim de uma sociedade,nem sobre o fim de todas as sociedades futuras,mas sim,falam no ocaso do universo inteiro.
      Os grandes santos podem ter visões tipo as daqueles documentários do Discovery Channel,e as usam para incentivar as pessoas a investirem em sua melhoria pessoal, contando que "a oportunidade que conhecemos para fazermos isso não vai durar para sempre".

      Quando a ruidosa e plana música que sustenta a criação enfraquecer, não só os seres biológicos morrerão,mas as almas,os deuses e todos os seres transcendentais mergulharão felizes no Nada aparentemente eterno.
      Em nossa mesquinhez de elementos apegados à vida,e temendo perecer de vez,mesmo que for só daqui a uns bilhões de anos,depois de termos sido tão felizes, podemos encarar uma boa notícia,

      deuses também reencarnam,e com eles, renascem universos,semideuses,almas e criaturas.
      Passam-se a agrupar de uma forma diferente, produzem novas concepções estéticas,fraternais e amorosas,em universos regidos por outros ruídos,por outras leis físicas,e por outra matemática.

      O tema em referência foi o conteúdo principal da minha poesia constante da página avulsa desse blog, e que se chama "Pensamento".(fiquei trinta anos aperfeiçoando-a)
      Todos os que a lêem a acham absurda.
      Mamãe a ganhou de mim,e teve um mal estar ao conferir o final.
      O sr.William escreveu um ou outro texto baseado na mesma.
      Mandei para um blog de poesias junto de outras minhas, e o moderador,um sr.católico,a eliminou.

      Por ora,sobre isso,é isso.
      Uma vez eu sonhei que conheci a Nihil que morava num universo antimatéria.
      Fugimos depressa uma da outra,com medo de perecermos na simples presença mútua.

      Excluir
  14. Olá, Daniel,
    Os que têm o nome escrito no Livro da Vida são aqueles de quem Jesus falou: "Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de maneira nenhuma o lançarei fora." João 6:37
    "E a vontade de quem me enviou é esta: que nenhum eu perca de todos que me deu; pelo contrário, eu o ressuscitarei no último dia." João 6:39

    Aquele que tem o nome escrito no Livro da Vida é o que foi destinado por Deus a crer em Jesus Cristo, e isso foi determinado antes da criação do mundo. Crer em Jesus não é acreditar que ele existiu, como acreditamos em Tiradentes ou em Pedro Álvares Cabral. Crer em Jesus é confiar que ele morreu na cruz e ressuscitou para nos dar a vida eterna.
    Não podemos ter o nome no Livro da Vida por mérito próprio, mas por decreto divino (Efésios cap.1)

    ResponderExcluir
  15. Respostas
    1. 233... manipulando mentes menos capazes umas e menos atentas outras, despeja:

      > Qual foi a saída de Rivail? Ele disse que os judeus acreditavam na reencarnação com o nome de ressurreição, o que é uma besteira sem tamanho
      --
      apenas vou ser rápido e mostrar, não aos menos capazes de um raciocínio límpido e sem preconceitos para com a D.Espirita/PURO CRISTIANISMO, mas sim para aqueles que são idóneos da mente e sabem analisar por si próprios a ***PASSAGEM BIBLICA** abaixo, mas...

      ... não me inibindo de dizer que não será nada de admirar que, afinal, Kardec até teria razão ao considerar que naquele tempo o termo "ressurreição" teria uma abrangência maior do que aquela que consideramos ter hoje, pois...

      ... se assim não fosse, esse dialogo a seguir de Jesus com seus companheiros não teria qualquer sentido ou racionalidade...

      veja-se...

      "Num dia em que ele estava a orar a sós com os discípulos, perguntou-lhes: Quem dizem que eu sou? (São Lucas 9, 18)

      Responderam-lhe: Uns dizem que és João Batista; outros, Elias; outros pensam ***que ressuscitou algum dos antigos profetas.*** (São Lucas 9, 19)"

      Portanto... só resta dizer que "um profeta ressuscitado" na forma e ideia que temos hoje, não é possivel equacionar naquele dialogo simplesmente porque...

      ... ali todo mundo sabia que Jesus **foi parido** tal qual como qualquer outro nenezinho é... certo?!?!...


      Excluir
    2. ...certo?!?!...(V-V-ai-sem-Volta)

      Erradíssimo!
      Jesus perguntou o que pensava o povo a respeito dele, e entre o povo devia havia muitos que não conheciam a história de Jesus e de João Batista.
      O pobre homem de além-mar continua a querer ler apenas algum versículo e, somente por ele, tirado do contexto, formar um corpo de doutrinas ilógicas denominado erroneamente de Espiritismo. Não existe "Espiritismo", porque espírito inexistente nenhum revelou coisa alguma.

      Assim como existem hoje em dia idiotas que acreditam numa farsa em Jacerepaguá, na qual um pederasta loiro se fantasia de fantasma de alemão, devia haver muitos que achavam que Jesus era Elias ou João Batista ressurretos.
      Mas isso não significa nada na resposta dos discípulos, porque o importante foi a resposta correta, a de Pedro. É isso que o texto quer mostrar: respostas erradas existem, mas há UMA somente que é a correta: "Tu és o Messias, o Filho do Deus Vivo".

      "Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas numa roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome? E qual é o nome de seu Filho, se é que o sabes?" Provérbios 30:4

      O galego pega um versículo de interpretação duvidosa e quer com ele pôr abaixo centenas de outros que dizem o contrário.

      Jesus disse que aquele que nele cresse seria ressuscitado por ele no Último Dia. O galego lê isso e acha que ressuscitar é reencarnar? Um verbo é transitivo direto (ressuscitar), o outro é intransitivo (reencarnar). Como podem significar a mesma ação?
      "..e eu o reencarnarei no último dia."
      "Jesus reencarnou ao terceiro dia."
      "Jesus reencarnou dentre os mortos."
      Só rindo desse argumento idiota!

      Como é duro quem estudou ficar lendo essas bobagens de iletrado que nem a língua portuguesa sabe.

      Excluir
    3. com certeza as pessoas de boa fé e intelectualmente honestas (predicados impossíveis de encontrar nesse 233) facilmente entendem o cerne da questão, que é o facto de Kardec ter sido apontado como "manipulador" ao referir que naqueles tempos o termo "ressurreição" poderia também significar "reencarnação", e...

      ... na VERDADE a documentação biblica dá-lhe total razão, pois que...

      ...quando ali é dito que na ideia do povão, Jesus podia ser um dos profetas RESSUSCITADO, realmente o que estava sendo mencionado é que Jesus podia ser um dos profetas RENASCIDO (reencarnado portanto), já que...

      ... como já disse anteriormente, o termo RESSURREIÇÃO, não pode ser aplicado no caso de Jesus já que Ele foi parido e não "saído do tumulo", como era sabido por aquelas gentes...

      o resto não passa das habituais e sempre presentes cabriolices desse coitado 233 que tenta fazer deste fórum um espaço onde imagina só entrarem atrasados mentais... (Ele aqui pode fazer isso porque sabe perfeitamente que aqui a oposição às suas estupidas diatribes e formas desonestas de atuar é praticamente nula, mas...

      ... não acredito que o fizesse/faça em meios onde a cultura/ saber intelectual fosse muito mais presente... Seria desmascarado em seus intentos e processos como quem limpa a bundinha de nenes)...





      Excluir
  16. No psicólogo o 233 malucão beleza confessa: - Doutor, eu acho que sou homossexual. - Quem? Você? De jeito nenhum. Veja só: o sanguinário Nero era homossexual, o inesquecível Rock Hudson era homossexual, o magnífico Napoleão Bonaparte era homossexual, o talentoso Oscar Wilde era homossexual. Mas você? Você não. Você não passa de um viadinho de merda.

    ResponderExcluir