domingo, 17 de fevereiro de 2013

O impossível

Eu confesso que sou mais celulótra do que católico, apesar do Padre José ter gasto várias horas, ensinando que a prioridade de todo católico é buscar o Reino de Deus ou fazer a vontade do Pai (Aquele que está nos céus). Já o Adilson acha uma heresia chamar alguém de Papa ou Padre, é fazer pouco caso dos ensinamento do maior profeta de todos os tempos. Seguindo a lógica do Adilson, deveríamos chamar o Papa de o Grande Filho da Mãe, o padre de o Pequeno Filho da Mãe, e os demais de filho da mãe, tudo em minúsculo. Mesmo assim, não importa como você chama o chefe dos chefes de todos os católicos do mundo, o importante é que ninguém irá a Jerusalém Celestial ou ao Lago do Enxofre, caso você não tenha sido incluído na lista de Deus.

Mas aonde encontrar a lista de Deus? Isso o Adilson não falou. Eu presumo que seja a Bíblia, a primeira que foi editado na mesma língua usado por Jesus, em aramaico. Se você encontrar o seu nome em aramaico na Bíblia original, certamente o seu lugar estará garantido, seja à direita ou seja a esquerda dEle. Ou seja, o Adilson questiona a eficácia dos sacramentos, rituais inventados ao longo desses 2.013 anos por vários papas e teocratas da nossa Santíssima Igreja, o mais conhecido é quando o padre joga água na sua cabeça. A minha bíblia é digital e não é aramaico, e lá eu vi João Batista comentando a besteira que é o ritual do batismo, mas Jesus disse que alguns rituais tem que ser seguidos à risca, dando a entender que o Senhor dos Exércitos gosta mais da formalidade do que a improvisação dos nossos corações. Eu acredito que esse é o texto que fundamenta os rituais católicos, eu não sei, eu não sou tão estudado quanto o Sr Adilson. Acredito que a Igreja Católica sincretizou a cultura romana, e graças a isso conseguimos chegar à Revolução Burguesa e a Revolução Industrial, e assim temos os nossos "direitos" garantidos através das nossas leis humanas. Ou seja, se hoje o sr MB recebe R$ 7.000,00 por mês a título de aposentadoria, isso ele deve à sacramentalização do direito adquirido que a Igreja Católica ensinou à humanidade em todas as missas.

Ou seja, se a Igreja Católica falhou feio ao trazer o Reino dos Céus na Terra, pelo menos, ela inventou a burocracia. E esse é o tema da minha crônica de hoje.

Nessa semana, peguei vários filmes do César no Shopping Popular de Diadema, e o que me chamou a atenção foi O Impossível, um filme espanhol distribuído pela Paramount. É uma família que passa as férias do Natal de 2004 numa das ilhas da Ásia, um pai, uma mãe e três crianças. O cenário do tsunami é fantástico, todos somos dependentes da água, mas em excesso, isso é uma tragédia. Ao longo do filme, a família conseguiu sobreviver, mas todos estavam espalhados, mas no final eles conseguiram se encontrar. O final do filme é que deixa qualquer um de boca aberta. Apareceu um senhor de maleta na mão, dizendo que o serviço do Convênio Médico iria cobrir tudo, fretou um Boeing 737 só para resgatar aquela família e leva-los para Cingapura. Um Convênio Médico que funciona assim é realmente O Impossível.

Mas, enfim, apesar do fracasso milenar da Igreja Católica em trazer a lista de Deus para a Terra, vamos torcer para que os nossos concorrentes consigam arrancar a famosa lista das mãos de Deus, principalmente porque ninguém mais aguenta o Adilson e o Esio falarem mal da nossa santíssima Igreja. A Igreja Católica é auto-suficiente, ela tem os seus problemas, o suficiente para ver os seus tijolos desmoronarem depois de tantos anos ininterruptos de missas, batismos, casamentos, e um monte de unções. Não entendo a pressa do Adilson, será que foi só isso que ele aprendeu na sua bíblia aramaica?

6 comentários:

  1. O Voo

    Esse é outro filme que gostaria de indicar para os visitantes do Blogue da Selma. Como o nome diz, essa é a história de um acidente aéreo, focando o tema do sucateamento de várias naves que voam sobre as nossas cabeças. Mas a outra metade do filme trata da virtude e da falha humana na hora de conduzir um equipamento fantástico como o avião. A nossa civilização está longe, muito longe de resolver velhos problemas da humanidade, mas o comandante foi muito feliz ao encontrar uma saída para o seu problema, onde a sua falha pesava bem mais que a sua virtude. Vale a pena ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse filme é ótimo, e demorado com duas horas de duração. Filme estrelado por Denzel Washington.

      Excluir
  2. Deadfall

    A violência não é privilégio de um ou de outro. Esse filme fala de vários instintos, o maternal, o paternal e o infantil, ou seja, a violência não tem idade, ele é uma dinamite de pavio bem curto, e que pode explodir a qualquer momento. Esse filme é um protesto pessoal do diretor quanto ao Pai Todo Poderoso: quanto mais pessoas ele coloca nesse planeta, mais chance temos de sermos vítimas da violência. Todo homem é mal, essa é a mensagem do filme.

    ResponderExcluir
  3. 007 Skyfall

    "O meu nome é Bond, James Bond". Esse é um clássico do cinema e que chega em 2013, com um orçamento muito apertado, o diretor foi vítima da crise do euro. O filme começa com o agente mais secreto do mundo com um tiro, alvejado por um outro agente da MI6. Ferido, velho, fraco, com uma pontaria bem ruim e com diabetes, 007 enfrenta o maior de seus desafios: enfrentar o fim do MI6, de um lado pela antipatia do Primeiro Ministro, e de outro por um ex-agente, revoltado com o fim da sua aposentadoria. Os tempos mudaram, agora tudo está muito pior.

    ResponderExcluir
  4. Sr.Hosaka,se eu soubesse que o sr.estava também escrevendo aqui,eu teria publicado a tripitaka 897 nesse espaço.
    Mas,ela ficou no texto lá embaixo.
    O sr.vai gostar,se ver.

    Me despedirei de todos,agora.
    Até breve.

    ResponderExcluir
  5. Sr. Hosaka, pensava eu ca´com meus botões e lembrei-me da sua inesperada visita. Realmente estávamos ouvindo um bom som , acho até que um tingo-argentano e saboreando uma churrasqueada, bah ! que dava até dor no maxilar. Aí voce chegou, de mansinho, como quem não queria nada , eu o abracei por trás e voce sentiu um enorme calafrio na espinha, deu uma reboladinha e perguntou : Vim de Diadema, cheguei a pouco de fora, posso entrar na linguiçada ? E respondemos unissonos: claro Hosaka, vamos encher o seu rabo de linguiça ! hehehe

    ResponderExcluir