domingo, 14 de abril de 2013

Como se arrepender do pecado?

[Publicado no Facebook, na página Frank K Hosaka]

Ontem estava chovendo, mas encontrei minha mãe lavando as escadas com vassoura e muita cândida, ela queria tirar aquelas manchas verdes. É uma escada rústica, só de concreto, não tem nenhum azulejo. E ela me pediu para ajuda-la. Eu disse não, ou seja, ofendi Deus no seu famoso quarto mandamento, o de obedecer aos pais.

Mesmo que eu seja batizado, certamente que vou acabar sendo queimado naquele lago que arde e cheira enxofre, junto com todo o joio que Deus encontrar no famoso dia do julgamento, e lá eu vou lamentar todas as vezes que desobedeci minha mãe.

Eu não sou uma pessoa má. Todo mês, eu contribuo com a igreja de São Francisco, de cada dez pedidos que a minha mãe pede, pelo menos uma eu faço. Por exemplo, quando ela manda eu jantar, eu vou lá e faço o meu prato sem resmungar. Só não lavo o prato, porque detesto mexer com detergente.

Eu também não sou uma pessoa boa. Ao invés de reler a Bíblia, eu fico quase o tempo livre, vendo Facebook, onde encontro o Esio Lopes defendendo o casamento entre os não convencionais, um monte de propaganda para comprar isso e aquilo, ou seja, sempre deixo Jesus de lado para viver esse momento que é o Facebook. O que Jesus diz na Bíblia é muito mais sensato e saudável para minha vida material e espiritual, mas sempre acabo dando mais importância para o Facebook, onde não aprendo sequer a escrever melhor, ler melhor ou fazer conta.

Eu sou um servo mau e preguiçoso, eu não sou nem quente nem frio, eu sou tudo aquilo que Jesus detesta. O pior de tudo é que não sei como me arrepender de todas as vezes que frequentei o Facebook.

12 comentários:

  1. eu já fui poetinha,hoje eu sou poetadomingo, abril 14, 2013 4:48:00 PM

    10/3/11


    Eu fiquei sabendo
    que posso mesmo escrever
    com a finalidade de entreter
    mas hoje em dia tenho reservas
    contra os clichês da poética
    e gosto também de pintura e desenho.

    Não tenho mais alma, mas tenho cérebro
    não tenho mais coração,
    mas tenho ego, id e superego
    não tenho mais devas nem asuras me orientando
    mas tenho complexos me prejudicando
    ou bons hábitos me ajudando.
    Não tenho mais sentimentalismos profundos
    eu só tenho hoje em dia, vínculos
    -bem ou mal resolvidos
    com um erotismo fecundo
    as musas não me inspiram mais
    elas foram trocadas pela psicologia,
    e suas entidades reveladoras da identidade.

    Modernosa
    se ouço filosofia
    agora
    eu a interpreto de forma alternativa,

    Sou mais provinciana
    mas continuo aquela mesma molecona
    com sua voz de falsete,
    ainda posso estender o tapete
    para bons amores
    ainda posso poetar sobre parentes
    e sobre flores,
    embora eu tenha vergonha de ser conhecida
    como sentimental
    prefiro ser uma moça
    que estuda a problemática comportamental
    e que pensa a velha libertação da alma,
    como uma emancipação química.

    …mas no fundo, continuo sendo a mesma bobona
    agora com medo de parecer piegas-
    posso hoje em dia,
    ser materialista e provinciana
    mas nunca deixei, no fundo, do fundo,
    do meu sótão escuro
    de ser uma esperançosa na condição humana,
    de ser uma esperançosa poeta.

    Enviado por: NIHIL


    criado por williamrobson 21:17:17 — Arquivado em: Nihil —



    domingo, 13 de abril de 2.013


    Escrevi os versos acima quando estava no auge do entusiasmo de haver descoberto que essa não foi a primeira vida em que escrevi versos.
    Na época,eu estava quase histérica,e havia começado a escrever um diário a respeito do caso no blog do sr.William.

    Ele foi um santo.
    Acompanhou minhas crônicas a respeito- e opinou em algumas delas.
    Quando lembramos vidas passadas,é sempre bom que tenhamos alguém por perto que nos ouça e que "segure nossa mão".
    Ele foi essa pessoa que fez isso.
    Felizmente,aquela emoção transbordante de um autoreconhecimento meu numa personalidade histórica,já passou.
    Assim mesmo,atualmente,evito blogs onde falem sobre ela.
    Para não ser tragada de novo pelo maremoto da nostalgia.

    No presente dia,me encontro na praça de alimentação de um shopping center,postando a partir do Positivo-e entendendo como sou feliz por viver em pleno século vinte e um,e por não ter parado no tempo.(dizem que algumas almas ficam com preguiça de reencarnar,e não se atualizam)
    Já já irei embora.
    Uma boa tarde a todos.

    §§§§§

    ResponderExcluir
  2. Desculpe, Srta Nihil, mas a praça de alimentação do Shopping não é lugar para usar um notebook. Você pode sim usar um celular, mas um notebook, não. Durante muito tempo, a paróquia foi o centro de convivência, hoje não é mais. Quem tomou o lugar da paróquia foi o shopping. As meninas gastam um tempão para usar maquiagem, vestir a melhor roupa, e o mesmo acontece com os rapazes. Eles usam o shopping para desfilar e se aparecer. Além das roupas, eles também exibem os seus celulares, alguns bens barulhentos, outros são rosa, eles fingem que estão vendo o Facebook, mas na verdade eles estão usando o reflexo do celular para ver se o penteado continua no lugar. Usar o notebook na praça de alimentação é uma baita falta de respeito. Ou você esnoba ou você é a plateia que assiste a um dos mais belos festival de mocidade e juventude. Usar um notebook na praça de alimentação é a mesma coisa que protestar, de afirmar que você está pouco lixando com o que as moças e moços estão vestindo; se você não quer contemplar a beleza da juventude atual, o máximo que pode fazer é lanchar e cair fora, para lugar a tanta gente que ainda está de pé a espera de uma vaga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas sr.Hosaka,nos horários nos quais costumo estar nos shoppings para lanchar,e para postar também- não atrapalho as pessoas.
      Sempre tem lugares sobrando.

      Há muito me habituei a sair aos domingos, ir na cerimônia do templo,e depois usar o dia para resolver o que não consigo durante a semana.
      Antes,eu dava sempre uma passadinha na lan-house.
      Depois do notebook,isso mudou.
      Esse costume pode estar caindo em desuso(antes,eu via mais gente com notebooks em praças de alimentação de shoppings),mas se eu não usar lá quando eu sair,não poderei ir postar a partir de outro lugar.

      Celulares cor-de-rosa eu também vejo ando vendo.
      Alguns nerds portam smartphones enormes.
      Já vieram me perguntar,nesses locais,"se a TIM funciona bem",isso porque,por me verem acessar,perceberam que minha operadora é a TIM.
      Talvez,por causa do passarinho da tela de conexão.

      Excluir
  3. Basic para o Android

    http://laughton.com/basic/versions/v01.73/index.html

    Para quem guardou a revista Input dos anos 80, essa é uma boa chance de aprender o Basic, usando o Android. Eu usei duas linhas para testar



    Print "Frank"

    Input A



    e, para a minha surpresa, funcionou!



    Como se trata de um apk, você precisa ativar Fontes Desconhecidas no painel de Segurança.



    Não é exatamente um aplicativo essencial, mas não encontrei nenhum tópico para encaixar esse achado. Para refrescar a memória, aqui a velha listagem do programa de tabuada:



    Input "Tabuada do", A

    For i=1 to 10

    Print A;" x ";i;" = ";A*i

    Next i



    Claro que ninguém decora mais a tabuada, graças às calculadoras, mas você já imaginou ser o único que tem um programa que faz tabuada no seu celular?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse texto me fez lembrar do curso de informática que fiz no Senai,em 1.989,e dos computadores da escola,que nunca funcionavam.
      Peças jurássicas, e que me fizeram tomar pavor dessas máquinas.
      Nunca usei nenhuma daquelas informações.
      O pouco que sei sobre informática,aprendi usando pcs reencarnados dez vidas depois...(fiu...)

      Excluir
  4. O casamento convencional

    Até onde eu sei, as leis humanas só permitiam o casamento entre sexos opostos. Graças ao avanço jurídico nas relações humanas, hoje é possível pensar em casamento entre duas pessoas do mesmo sexo, e quem sabe no futuro poderemos celebrar casamentos múltiplos, vários homens casados com vários homens ou várias mulheres casadas com várias mulheres. A imaginação humana não tem limite.

    Pelo que eu entendi no texto do apostolo Paulo, ele é totalmente contra casamentos de pessoas do mesmo sexo. Mas, quem é Paulo para falar em nome de Jesus? Não foi ele que matou um monte de cristãos, antes de Jesus cegá-lo? Que moral tem o apostolo Paulo para falar sobre casamentos e a vaidade humana?

    Tirando os textos do Paulo, sobram um monte de textos que falam de Jesus, mas Jesus fala muito pouco sobre o casamento. Tudo se resume a "O que Deus une, o homem não pode separar", dando a entender que Jesus era contra a dissolução do casamento. Mas divórcio é o que mais acontece no nosso dia a dia. É muito raro um casamento convencional durar mais que três meses, doze dias e duas horas. Os motivos são vários, um peida demais, outro reclama demais, um é vagabundo, o outro é galinha, o que demonstra o quanto o amor cega as pessoas.

    O problema hoje não é ser a favor ou ser contra o casamento de pessoas do mesmo sexo, mas entender o desespero do Dr Esio Lopes em legalizar isso.

    A minha tese é que o casamento convencional acabou, ninguém está mais casando, e portanto ninguém está mais pedindo divórcio. O divórcio só é possível para quem casou, e assim os advogados estão ficando sem uma importante fonte de renda. Logo, a única saída para os advogados é legalizar os casamentos não convencionais, e pelo volume de mensagens que o Dr Esio anda publicando aqui no Facebook, a coisa deve estar bem feia para o lado dos advogados.

    Nesse caso, temos que torcer o braço para o apostolo Paulo, existe muita vaidade dentro de nós, mas a dos advogados é muito mais extraordinária.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é outro ponto em comum entre o hierofante antigo,e o esotérico prof.Adhemar Ramos.
      Ele não conseguia falar nesse tipo de união.
      Era a única pergunta difícil na qual patinava.
      Dizia que não acreditava que esse tipo de amor fôsse um pecado contra Deus,mas considerava isso uma "falta de vergonha".
      E mudava logo de assunto.

      Todo mundo tem algum limite,não tem ninguém que seja cem por cento,uma fortaleza.

      Excluir
    2. Comentou o sr. Hosaka:
      "Pelo que eu entendi no texto do apostolo Paulo, ele é totalmente contra casamentos de pessoas do mesmo sexo. Mas, quem é Paulo para falar em nome de Jesus? Não foi ele que matou um monte de cristãos, antes de Jesus cegá-lo? Que moral tem o apostolo Paulo para falar sobre casamentos e a vaidade humana?"

      Sr. Hosaka, sr. Hosaka, parece que o senhor passou esses trinta e dois anos perdendo seu tempo na paróquia. O senhor não entendeu nada de Cristianismo, nem mesmo do falso, herege e idolátrico Cristianismo romano.
      A meu ver, o senhor apenas nasceu no Brasil, mas sua mente é totalmente nipônica. Seu DNA não lhe permite alcançar as ideias cristãs. Acho que, em vez de perder seu tempo na paróquia, é melhor frequentar um templo budista ou de secho-no-yê. O senhor somente assimilou a crença na defunta Teresa porque os japoneses cultuam antepassados e a ideia é similar.
      Quer ver o padre José empalidecer? Copie esse seu comentário sobre Paulo e mostre a ele.


      Excluir
    3. O dr. Esio tem duas vezes a probabilidade de ser V-V-eado como o Emperucado e o Bichaldo Frango, porque esses dois sempre foram rivailistas, e o GLS é rivailista e macumbista, logo, a tendência para a boiolice dobra. Ele deve sonhar com a possibilidade de se casar com algum macho, de preferência com mais de um. Por isso ele profetiza com alegria o tempo em que não haverá mais a necessidade de procriação convencional. Ele quer todo mundo na base de mulher com mulher e homem com homem, o que só aconteceria com a predominância do Rivailismo-Peruquismo ou da Macumba.

      Excluir
  5. Quem, visitando o Blog a procura de assunto religioso, lerá as bobagens da Maluquete e voltará?
    Caraca! A mulherzinha é de amargar! Ela pensa que escreve algo interessante !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adilson.

      Não me sinto no dever de escrever de uma forma profissional.
      Visito sites e participo deles para ter companhia,e quero o direito de ser e de parecer comum.
      Eventualmente, irei compor textos acurados e eles estarão na série "Viagens Maionésicas".
      Os outros temas importantes para mim doravante eu evitarei aqui,pois me parece que o blog não gosta de prosas que expressam o livre pensamento.

      Sou uma livre pensadora,e felizmente,meus temas são melhores do que os seus.
      Por algum tempo tolerarei sua descortesia porque desejo prosear com o sr.Hosaka.
      Mas,vou pensar bem sobre onde ficarei na maior parte do tempo...já que existem lugares bons para mim, onde sou respeitada no direito de ser quem eu sou.
      (começo a pensar se vcs valem mesmo o esforço da minha presença)

      Tentarei não lhe responder mais nada.
      Ando gastando demais meus dedos,dando satisfações a um simples "joão bobo".
      Estou parecendo uma ...mulherzinha-e pareço ser assim também ao fingir que não percebo sua atitude bastante incomum...
      Contudo, sobre isso, é bom eu não comentar nada.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir