terça-feira, 23 de abril de 2013

As duras palavras do Sr IEU

Estou de volta no fórum do UOL. Naquela época, eu participava do grupo de Informática, Banco de Dados Access. Mas havia tanto spam que o grupo foi comprometido, e muita gente foi embora. Assim comecei a navegar em outro fóruns, até encontrar o grupo de Religião. Encontrei uma mensagem do professor Andros, perguntando que sentido havia em fazer as crianças sofrerem de câncer. Eu arrisquei um palpite de que se tratava de uma provação. O professor não gostou nada, e deu a maior surra que jamais esqueci. O correto era esquecer todo o UOL, mas acho que o espírito vingativo falou mais alto dentro de mim, e comecei escrever as porcarias de sempre, só para aborrecer o professor. Após vários anos, acabei famoso, principalmente por publicar o meu emai, nome e telefone verdadeiros. Nunca falei de religião, só falava da Maria.

E nessa semana, levei outra bela surra, lembrando que ninguém espera que se fale da Maria num Blog de Religião.

Já se passaram muitos anos, e confesso que fiquei contente com a participação do Sr IEU. Tanto ele como o professor tem razão, temos que ser um pouco coerentes. Se temos algo importante a dizer, é nesse momento que temos que usar o livre arbítrio para publicar a mensagem, caso contrário, o melhor é ficar em silêncio, deixar o valioso espaço da internet para quem entende do assunto.

Eu me sinto envergonhado. Não sei aonde enfiar a cara. Se o professor está lendo a minha mensagem, eu peço sinceras desculpas. Já ao Sr IEU, eu quero agradecer muito, principalmente por dar respaldo à importante decisão que tomei: vou continuar a escrever sobre Maria, porque ela é a minha única e verdadeira religião. Se eu escrevo mal, se eu não apresento ideias novas, se os meus argumentos são circulares que saem de lugar nenhum e chegam no mesmo ponto, acredito que o problema não é meu, mas de quem continua me lendo.

5 comentários:

  1. viagens maionésicas 16

    O fato a ser narrado aconteceu em agosto de 2.010.

    Ainda trabalhava no último serviço, e a prosa com o povo do gd do Terra depois de um período tumultuado,começava a se encaminhar para uma ordem.
    Eu não podia viver sem a turma,embora brigássemos um pouco.
    Não estava cuidando direito da minha saúde, umas vezes eu ia a um local realizar algo,e precisava voltar lá duas vezes,para saber do que se tratava.

    Num sonho que eu tive,eu comia uma refeição numa lanchonete de outro planeta.
    O ambiente era um ambiente de filme espacial.
    Havia sido informada que estava na fronteira de um universo paralelo antimatéria.
    Sempre imaginamos que num universo antimatéria, existem réplicas das nossas pessoas,que não necessariamente estão vivendo a vida que nós vivemos agora.
    Talvez um sr.Hosaka em outro lugar,é um político,ou um médico,e nem conhece a gente.(kkk...)

    Terminei o lanche,e com a conduta que sempre tenho em shoppings centers,fui ao toalete,me arrumar.
    Na saída, pasmada,eu vi se aproximar uma outra Nihil.
    Não,não era um espelho superlimpo que eu via.
    Eu e a outra moça fazíamos gestos diferentes.
    Apavoradas,com medo da dissolução mútua que nosso contato mais próximo poderia nos provocar,fugimos uma da outra,depressa.
    Ela era do universo antimatéria.
    Se não era,a mesma pensou que eu fôsse.

    Muito profético esse pesadelo.
    Um mês depois,fui a um casamento, lembrando sempre de um nome que eu vira em outro sonho,
    Joaquim Brasil,Joaquim Brasil, ...não lembrava de ninguém com esse epíteto.
    Um mês ainda depois,voltando do templo budista,passei por uma livraria e encontrei um livro de capa azul,com a ilustração de uma escultura do Brancusi.
    Imbuída de uma curiosidade fora do comum, comprei-porque seu autor se chamava ...Joaquim Brasil.
    Voltei lendo no ônibus,não consegui largá-lo antes do final do mês.

    Bem...a Nihil-matéria que sou eu,e a Nihil-antimatéria,que é aquela do passado,começamos nossa dissolução mútua.
    Ela ainda ocorre.
    Tivemos mesmo muita razão em fugirmos uma da outra a vida inteira.

    ResponderExcluir
  2. O texto acima,eu ia publicar na página abaixo,mas resolvi publicar aqui.
    Isso mostra meu apreço pelo sr.
    Continue a fazer tudo o que sempre fez,gosto das suas qualidades e dos seus defeitos.
    Gosto também dos seus "duplos sentidos",tipo falar da Princesa e da mãe do sr.Jesus ao mesmo tempo,sem nos deixar saber a quem se refere de verdade.
    Até sua amizade com o sr.Ésio me diverte.

    Idem não entendo de muitos assuntos,por isso,quando comecei a participar de gds na internet,comecei no "Sociedade".
    Opinava em debates polêmicos,que lembravam os assuntos do sr.William.
    Aí eu conheci primeiro ao sr.,que eu vi prosear com a Talita.
    Ainda bem que a Talita é uma senhora distinta.
    Problema,foi quando uma tal de Kátia o abordou.(conheço-a da vida real,e não somos nem um pouco amigas)
    Eu já era Nihil,mas usei outro apelido para atrapalhar a conversa de vcs.
    Eu gostava do sr.,mas só tive coragem de prosear com o sr.seis meses depois,já no Terra.
    Uma semana se passou,e apareceu alguém criticando todas as religiões,e fazendo gozação dos políticos.
    Fiquei atraída a ele também,mas quem bateu nele fui eu...(hahaha!)
    Depois,com pena, esperei o mesmo reaparecer para eu me desculpar,mas então ele havia desanimado com os travamentos do Uol,e voltara para o gd do Terra.
    Chateada por só ter ao dr.Samir Achôa para conversar um pouco(ele foi o dr.Comé), aguentei a ausência de vcs(o sr.e o professor Andros) até o Uol fechar os gds.
    Reencontrei o professor no gd do terra em agosto,mas o senhor só apareceu em outubro.

    Eu ainda não tinha experiência em prosas virtuais.
    Hoje em dia,posso ter alguma malícia a mais,mas continuo uma mulher tão comum que nem toda gente por aí...meu grande diferencial,é saber escrever versos eróticos.
    Por ora,não sei bem porquê,o poço está seco.
    Passo por alguns períodos sem conseguir conceber versos, e por outros mais prolíficos.
    O que a Safo,minha amigona-antimatéria mais queria um dia,era ser só uma mulher comum.
    Mas,tinha medo de perder a inspiração para poetar.
    Bom,acho que ela conseguiu uma coisa e meia.
    Virou uma mulher comum na multidão,mas não perdeu toda a inspiração para a poesia.
    Menos mal,menos mal.

    E se o sr.continuar sendo quem é,sr.Hosaka,eu vou chamar isso de a terceira coisa que consegui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Srta Nihil,

      Do professor, tenho que agradecer as Bolas de Lanciano bem como o conceito de inominável. Creio que levei cinco anos para entender o que ele estava dizendo. Ao contrário do que o professor preconizava, passei a admirar ainda mais a Igreja de São Pedro. Outro lado bom dos debates são as novidades que surgiram, lembro do dia que o Amaral trouxe Como funciona.

      Graças a Deus, o debate entre o Adilson e o Vai Volta melhorou bastante. Lá no UOL era muito difícil acompanha-los, os dois copiavam o que havia sido discutido, e cada nova mensagem ficava difícil de descarregar, e eu já não sabia quem estava respondendo o que para quem. Aqui no blog, o Sr Vai Volta conseguiu encontrar um novo adjetivo para o Adilson que tenho vergonha de repetir, e o Adilson encontrou um ótimo argumento para justificar os adjetivos que atribuía ao Vai-Volta. De espiritismo ou a salvação, eu não aprendi nada, mas adjetivar pessoas e ideias, esse é um importante legado que devemos agradecer aos dois.

      Sobre o Dr Esio Lopes, eu esperava mais. Como ele faz parte do universo chamado jurisprudência, eu esperava que ele falasse mais do processo e menos do que os bandidos mereciam. Atualmente, ele defende apaixonadamente o casamento dos gays, o que abre a possibilidade dos novos casais adotarem crianças, e isso me faz perguntar se só as pessoas casadas podem adotar, ou se existe alguma possiblidade jurídica de uma pessoa solteira adotar uma criança, mas é muito difícil levar o Dr Esio à sério, ao invés dele apontar um atalho para encontrar resposta, ele joga um monte de saco de areia no caminho, o que dificulta bastante encontrar a coragem para prosseguir adiante.

      Mas, voltando ao Blog, encontrei um vídeo bacana no Estadão. O vídeo é muito ruim, você precisa rodar três vezes, para entender o que está acontecendo. É um filme feito através de um celular num show que aconteceu nesse domingo na Argentina:

      Meteorito de 45 cm na Argentina

      Excluir
    2. Acabei de ver o clipe.
      Mais tarde,comentarei.

      Um bom dia a todos.

      Excluir
    3. Hoje reli a tréplica do sr.

      De fato,no gd do terra, não conseguíamos mais destrinchar a conversa entre o sr.Adilson e o sr.Vaivolta.
      Acabei deixando de acompanhá-los,mas voltei a fazer isso aqui no blog,pois a prosa de ambos ficou mais clara (e a briga também...rs).
      O sr.Ésio sempre defendeu a ..."união gay".
      A impressão que dá,é que ele só liga é para isso.
      Hã...oxalá ele não fique bravo se ver minha mensagem.

      Excluir