domingo, 6 de novembro de 2011

Como tirar o dinheiro do otário?

Já faz mais de um mês que Steve Jobs foi sepultado, mesmo assim o seu espírito continua vivo na Apple. Agora eles estão vendendo o iPhone 4S com o programa Siri, que interage com o usuário de forma verbal. Eu duvido que isso vá funcionar no Brasil, pois já faz meio século que temos o Windows com o recurso de fala e que não funciona de jeito nenhum. O mesmo problema acontece no Android, onde há centenas de programas tentando fazer o comando de voz funcionar, ele é uma maravilha para quem sabe falar inglês, mas o resultado é um completo desastre e perda de tempo para quem mal sabe falar português. Mesmo assim, isso não é problema para Google, Apple e o padre, eles têm muita experiência para ludibriar o otário, eles vêm com aqueles argumentos cheios de idas e vindas, e que você acaba concluindo que Deus é uma necessidade lógica da nossa inexplicável existência e para torná-lo melhor não existe outra saída senão pagar o dizimo ao padre, ao Google e à Apple.

Além de Deus, outro bom argumento que eles usam para fazer a gente gostar da missa, do iPhone ou do Android é o nosso medo doentio de morrer, com o clássico slogan compre isso agora, senão amanhã será tarde demais (para você).

Enfim, eles não deixam nenhum espaço para você pensar. Não há como contestar. Se você invadir a casa paroquial ou a administração da Google, logo logo a polícia vem com uma ordem judicial para você sair de modo pacífico até segunda de tarde. Somos prisioneiros de um sistema, e, de acordo com Karl Marx, a única forma de conquistar a liberdade é unir todos os otários do mundo e dizer não ao padre, não à Google, e não à Apple. Mas hoje a contribuição sindical é obrigatória, e você vai para a cadeia senão pagar, mesmo sabendo que os pelegos estão fazendo a maior farra, muito mais que as ONGs que têm convênio com o Ministério dos Esportes. Falta muito pouco para a Apple, a Google e o Papa legalizar o dízimo deles, assim como fez a Força Sindical.

Enfim, essa é a linha fundamental de nossa existência, nascemos otários, crescemos otários e vamos morrer otários. O maior problema é que Steve Jobs já está do outro lado, e tudo indica que passaremos toda a eternidade, pagando o dizimo por um equipamento que promete realizar as nossas vontades, e reduzindo toda a nossa vida a idolatrar aquele sorriso do Steve, que começa de uma orelha e vai até outra orelha, cheio de orgulho por descobrir como tirar o dinheiro de otário como eu, tanto na Terra como no Céu.

5 comentários:

  1. Também ando idolatrando equipamentos eletrônicos,faz tempo.
    Mas,o "desejo hedonista é a origem do sofrimento".
    Todavia, sempre estamos a fim de pagar o preço mesmo,fazer o que...
    ...senão adiar a entrada no Nirvana,quando não teremos mais pulsões,nem vontades,nem vontade de falar ou ouvir...

    (kkkk...)
    ...nem de fazer versos,nem de ouvir as estrelas...

    Bom domingo a vcs.

    ResponderExcluir
  2. “Enfim, eles não deixam nenhum espaço para você pensar. Não há como contestar.”
    -~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-
    Sei lá minha cabeça deve ser muito oca...HAHAHAHAHAHAHAHAHAH!
    Não consigo parar de pensar, sempre há um Abismo de espaço.
    Não freqüento nenhuma igreja, não pago dizimo, questiono a Bíblia e para alguns isto é questionar Deus o que eu contesto, pois não reconheço a Bíblia como sendo 100% sua palavra.
    Acho os produtos da Apple interessantes, mas não tenho nenhum.
    Não gosto muito de falar então não gosto de falar com o celular se não tem alguém do outro lado da linha e esta conversa não pode passar de 2 minutos.
    Hã! O que eu estou fazendo nesta crônica então?
    Tem razão, sou um alienado, fora do mundo.
    Peço desculpas aos adoradores de Jobs por não ser suficientemente otário...HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

    Bom Domingo a todos, paguem seus dízimos, vão as igrejas e confiram as novidades da Apple, não esperem por mim. Estou indo em outra direção e dispenso caronas, gosto de pensar com minha própria mente...Fui!

    ResponderExcluir
  3. Olá, William,

    O meu texto ficou uma porcaria mesmo, o que quiz dizer é que não sou contra o dízimo da Apple, eu sou contra é com aquele desconto do contribuição assistencial que aparece no meu holeriti. Como você conseguiu se livrar dele e garantir a sua ampla independência a todos os deuses que querem reinar em nossas vidas?

    ResponderExcluir
  4. eu sou contra é com aquele desconto do contribuição assistencial que aparece no meu holeriti. Como você conseguiu se livrar dele e garantir a sua ampla independência a todos os deuses que querem reinar em nossas vidas?
    -~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-
    Prestei vários concursos públicos, o que consegui não é dos meus sonhos, mas dá para o gasto.
    O raciocínio é o seguinte:
    Quem me paga é o Estado, logo eu recebo dinheiro arrecadado com impostos de uma certa forma é como se o dinheiro dos impostos retornasse ao meu bolso e mesmo descontando as contribuições fico no lucro...HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

    ResponderExcluir